07.05.2015 | Ainda há muito espaço para crescimento da mecanização agrícola no Brasil

 

Há quem diga que parte da queda no volume de vendas de máquinas na Agrishow 2015, - expectativa dos realizadores da feira é de 30% em relação à edição de 2014 – é porque, nos últimos 10 anos, os produtores rurais adquiriam muitas máquinas. Mas segundo Carlos Pastoriza, presidente da ABIMAQ – Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos, uma das realizadoras da Agrishow, há ainda um potencial expressivo de aumento em decorrência da constante necessidade de modernização da frota. “A maior parte dos equipamentos está defasada, com uma idade média de 15 a 20 anos, resultando em menos eficiência e prejuízo para a produtividade. Acreditamos que se ocorrer essa modernização nos equipamentos, teríamos um incremento de 10% na produtividade geral do agronegócio”, avalia.

 

Para que o produtor consiga se modernizar, segundo Pastoriza, são necessárias algumas medidas. “A principal é o produtor estar capitalizado, o que ocorre atualmente, uma vez que a queda dos preços das principais commodities foi compensada pela valorização do dólar”, afirmou o presidente da ABIMAQ. Além disso, ele relaciona ainda os seguintes fatores: melhorar as condições de financiamento, com linhas de longo prazos, bom volume e juros condizentes; ampliação do seguro rural, hoje muito limitado; melhoria na logística geral de transportes no país para facilitar o escoamento da safra até os pontos de distribuição e os portos. “Além disso, precisamos ter a definição de uma política setorial de médio ou longo prazos. O Plano Safra, por exemplo, que está para ser anunciado, precisa ser plurianual, no mínimo de cinco anos, de forma que o produtor rural consiga ter um horizonte maior de planejamento”, conclui Pastoriza.

 

Fonte: Abimaq

 
     
  << VOLTAR  
     
         
 
   
         
 
  Metal Wagner 2015.Todos os direitos reservados. Desenvolvido por Interagence & CSZ Propaganda